2 DE ABRIL, SÁBADO

CONFERÊNCIA “TERRORISMO – AMEAÇA UMA NACIONALIDADE OU RELIGIÃO”

- Dra. Catarina Gomes (moderadora) (IGC)

12910611_1103278919722373_1486204149_nDoutoranda do Programa de Doutoramento “Human Rights in Contemporary Societies”, Centro de Estudos Sociais/Instituto de Investigação Interdisciplinar, Universidade de Coimbra. Atualmente cumpre funções de assessora, investigadora e consultora em educação para os direitos humanos no Ius Gentium Conimbrigae/Centro de Direitos Humanos, Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Licenciada e Mestre em Ciências da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra e Mestre em Gestão de Recursos Humanos pela Escola Superior de Altos Estudos do Instituto Superior Miguel Torga, Coimbra. Desenvolveu estudos, na área da Educação de Adultos e Psicologia Social na Facoltá delle Scienze della Formazione, Universidade de Florença, Itália. Enquanto Técnica Superior em Educação, tem exercido funções na área de Educação e Formação de Adultos e Gestão da Formação, nomeadamente, como coordenadora pedagógica, mediadora e formadora no âmbito de Cidadania e Empregabilidade, Aprender com Autonomia e em Processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências. Certificada em Formação de Formadores|as em Igualdade de Oportunidades.

- Dra. Ana Filipa Neves (IGC)

IMG_3057Doutoranda do Programa de Doutoramento “Política Internacional e Resolução de Confl itos”, na Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra. Em 2008, concluiu o European Master’s Degree in Human Rights and Democratisation com tese desenvolvida no Danish Institute for Human Rights, em Copenhaga, na área do Islão, direitos humanos das mulheres e migrações. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Investigadora e assessora no Ius Gentium Conimbrigae/Centro de Direitos Humanos da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra desde outubro de 2008. Integra, desde 2009, o corpo docente da Pós-Graduação em Direitos Humanos promovida pelo IGC/CDH.

- Dra. Catarina Sarmento e Castro (TC)

14_catarina_castro Juíza Conselheira do Tribunal Constitucional, desde 2010. Docente da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, na área de Direito Público, desde 1994, colaborando, igualmente, em Cursos de Pós-Graduação de outras Universidades. Foi Vogal da Comissão Nacional de Protecção de Dados, entre 1999 e 2003. Autora de monografias e de vários artigos, em temas variados, com destaque para o Direito administrativo de polícia, o Direito electrónico, o Direito da protecção de dados pessoais e a ligação deste com o combate ao terrorismo.Apresentou, na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, uma tese de doutoramento sobre Direito da Administração Pública electrónica.

- Dr. Daniel Pinéu (CES/FEUC)

danielpineuÉ Research Associate e docente no Instituto de Estudos Políticos da Universidade de Marburgo (Alemanha) onde lecciona sobre análise de política externa, teoria das relações internacionais, estudos sobre o terrorismo, e religião e política. Foi conferencista no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Hildesheim (Alemanha) entre 2008 e 2010. Doutorado em Estudos Críticos de Segurança (2009), na Universidade de Aberystwyth (Reino Unido), com uma tese sobre a reforma das polícias em cenários pós-conflito como instrumento da política externa norte-americana. Mestre em Política Internacional (2005), também em Aberystwyth, com uma tese sobre o conceito de império na política externa dos EUA. Em 2006 foi Doctoral Fellow no Center for Global Studies da George Mason University, Washington D.C. Licenciado em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Nova de Lisboa (2001), com Erasmus e Certificado em Estudos Europeus pelo Institute of Higher European Studies, em Haia (2000). As suas áreas de interesse científico incluem os estudos de segurança, a análise de política externa (em particular política externa dos EUA), a sociologia política internacional, e a teoria das relações internacionais.

- Dra. Teresa de Almeida e Silva (ISCPS/UL)

Foto Teresa de Almeida e Silva

        Doutora em Ciências Sociais, na especialidade de Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (ISCSP-UL). Pós-Graduada em Estudos Islâmicos, Mestre em Relações Internacionais e Licenciada em Relações Internacionais também pelo ISCSP-UL. Professora Auxiliar no ISCSP-UL. Coordenadora Executiva da Pós-Graduação em Informações e Segurança e da Pós-Graduação em Terrorismo e Contra-Terrorismo. Auditora de Defesa Nacional.

 

 WORKSHOP - EUTANÁSIA: DIREITO À MORTE OU OFENSA À VIDA? – PERSPETIVAS

- Dra. Cristina Líbano Monteiro

clmonteiroLicenciou-se em Direito, pela Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), em 1982. Trabalhou no Departamento Editorial e de Informação do I.D.L.—Instituto Amaro da Costa (1978/1982). É autora de vários artigos publicados em períodicos. Elaborou, em 1982, a pedido do então Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, parecer sobre alguns artigos do Cap. I do Título I da Parte Especial («Dos crimes contra a vida») do Projecto do novo Código Penal. Realizou, entre 1983 e 1985, em Itália, um trabalho de investigação pessoal, na área da instituição familiar. Entre 1986 e 1990, dedicou parte importante da sua actividade à promoção de iniciativas de cooperação e formação universitária, continuando a desenvolver, em simultâneo, um trabalho pessoal de investigação. Entre 1991 e 1996, Assistente estagiária da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, na área das ciências jurídico-criminais. Desde 96, com a obtenção do grau de mestre nessa área, Assistente da mesma Faculdade. Frequentou, nos meses de Agosto e Setembro de 1991, um curso de alemão para estrangeiros do Goethe-Institut, na Universidade de Konstanz, como bolseira do D.A.A.D.(Deutscher Akademischer Austauschdienst). Participou num projecto europeu, no âmbito do Programa Erasmus, que visava o estudo comparado dos sistemas penitenciários inglês e holandês, Abril e Maio de 1992. Incluiu deslocações de 15 dias a Londres (LSE) e a Groningen (Universidade). Desde 1997, é colaboradora permanente da Revista Portuguesa de Ciência Criminal (RPCC). É membro fundador do Instituto de Direito Penal Económico e Europeu e do Centro de Direito da Família, ambos da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Concluiu em Dezembro de 2014 o doutoramento em Direito, na área de Ciências Jurídico-Criminais, com a defesa da tese «Do concurso de crimes ao ‘concurso de ilícitos’ em direito penal».

- Dr. José Manuel Silva – Bastonário da Ordem dos Médicos

josemanuelsilvaJosé Manuel Monteiro de Carvalho e Silva, nascido em Pombal em Setembro de 1959 e residente em Coimbra.
Assistente Hospitalar Graduado de Medicina Interna e Chefe de Equipa do Serviço de Urgência dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC/CHUC) Médico da VMER do INEM/HUC de 1996 a 2003.
Ex-Coordenador da Consulta de Lipidologia dos HUC/CHUC. Ex-Vogal da Comissão de Qualidade e Segurança do Doente dos HUC/CHUC. Detentor da Competência em Gestão dos Serviços de Saúde. Mestre em Saúde Ocupacional. Professor Auxiliar de Medicina Interna e Regente da Cadeira de Medicina Geral e Familiar da Faculdade de Medicina de Coimbra. Pró-Reitor da Universidade de Coimbra em 2003-2004. Ex- Presidente da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose. Autor ou co-autor de cerca de 600 trabalhos científicos apresentados ou publicados em congressos ou revistas nacionais e internacionais; onze comunicações e posters premiados. Moderou 50 mesas redondas e debates. Publicou um livro sobre “Colesterol, Lípidos e Doença Vascular”, Ed. LIDEL, e um CD de slides em Lipidologia. Presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos nos triénios 2005-2007, 2008-2010. Prémio Prestígio 2011 do Diário as Beiras. Presidente do Conselho Nacional de Disciplina da Ordem dos Médicos nos triénios  2011-2013 e 2014-2016. Bastonário da OM nos triénios 2011-13 e 2014-2016

 

- Pe. Luís Francisco Cordeiro Marques

IMG_0177Nasceu a 1978 em S. Pedro d’Alva, Penacova. Foi ordenado Padre a  27 de Junho de 2004. Exerceu funções como Pároco de S. Martinho do Bispo, Antanhol, Assagarge, Almalaguês, Cernache entre 2004 e 2009. Foi também Pároco de Cantanhede, Outil e Portunhos e Diretor do Jornal Boa Nova – Cantanhede entre 2009 e 2015. Atualmente é Assistente Hospitalar do CHUC. Licenciou-se em Teologia na Universidade Católica Portuguesa e em Filosofia na Faculdade de Letras da UC. Está a redigir a dissertação de Mestrado em Filosofia também na FLUC.

 

WORKSHOP - E DEPOIS DA GUERRA? – RECONSTRUÇÃO EM CENÁRIOS PÓS-CONFLITO

- Dra. Sofia José Santos (OBSERVARE | CES/UC)

SJSSofia José Santos é investigadora no OBSERVARE, Universidade Autónoma de Lisboa, investigadora associada do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, e jornalista.

É doutorada e mestre em Política Internacional e Resolução de Conflitos pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Anteriormente, foi investigadora em pós-doutoramento no CES (2015) e investigadora e coordenadora de media e comunicação no Promundo-Europa (2014-2015). Foi jornalista e editora do Portal Rede Angola, em 2013. Pertenceu à equipa de investigação do Flemish Peace Institute (Bélgica), enquanto visiting scholar, em 2010, supervisionada pelo Dr. Tomas Baum, e foi vsiting fellow na Universiteit Utrecht (Holanda) supervisionada pelo Professor Ton Robben, de Setembro 2008 a Fevereiro 2009. Foi investigadora junior no Centro de Estudos Sociais, de 2008 a 2015, onde co-coordenou e co-editou o Boletim P@x, publicação periódica do Grupo de Estudos para a Paz do NHUMEP, de 2008 a 2014.

Especializou-se em Jornalismo pelo Centro Protocolar de Formação para Jornalistas (CENJOR) e é licenciada em Relações Internacionais pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Foi ainda estagiária no Centro de Informação das Nações Unidas em Portugal (2003) e Técnica Superior no Gabinete de Relações Internacionais da Escola Superior de Educação de Coimbra (2005-2007).

Os seus actuais interesses de investigação centram-se em questões relacionadas com media, paz e violências; cidades e paradiplomacia; media, peacebuilding e paz liberal; media e epistemologias do sul; media e políticas de contestação; segurança, privacidade e internet; masculinidades e prevenção de violência.

- Dra. Daniela Nascimento (CES/FEUC |AKTO)

foto instit Daniela Nascimento é professora auxiliar de Relações Internacionais na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra onde leciona na Licenciatura e Mestrado em Relações Internacionais e no Programa de Doutoramento em Política Internacional e Resolução de Conflitos. É, desde 2009, investigadora do Centro de Estudos Sociais. É doutorada em Política Internacional e Resolução de Conflitos pela Universidade de Coimbra, mestre em Direitos Humanos e Democratização pelo Centro Europeu Inter-Universitário de Direitos Humanos e Democratização de Veneza e licenciada em Relações Internacionais pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Os seus interesses de investigação centram-se nos estudos para a paz, direitos humanos, reconstrução pós-conflito, ação humanitária, com enfoque em África. Tem publicados capítulos em livros e artigos em revistas científicas nacionais e estrangeiras sobre estas temáticas e participado em vários projetos de investigação com financiamento nacional e internacional.

- Dra. Carla Marcelino Gomes (IGC)

Coordenadora de Projetos e investigadora no Ius Gentium Conimbrigae/Centro de Direitos Humanos (IGC/CDH), da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, onde trabalha desde setembro de 2001. Doutoranda em “Política Internacional e Resolução de Conflitos”, na Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra, especialização nas áreas da justiça de transição e das crianças-soldado. Detém o European Master’s Degree in Human Rights and Democratisation (2001), especialização em Direitos da Criança. Licenciada em Direito (1996) pela Universidade de Coimbra. Codirectora executiva do Curso em Operações de Paz e Ação Humanitária. Integra o corpo docente da Pós-graduação em Direitos Humanos, no IGC/CDH, desde 2002. Tem várias publicações nas áreas da sua especialização. Participa em missões de reconstrução pós-conflito e de desenvolvimento, particularmente, em matérias de construção institucional, redação legislativa e didática, bem como formação, em colaboração com entidades governamentais, ONU e ONG.

 3 DE ABRIL, DOMINGO

CONFERÊNCIA “REFUGIADOS – UM DRAMA HUMANITÁRIO”

- Dra. Maria Inês Basto (SDDH/AAC)

1Maria Inês Basto nasceu a 7 de Abril de 1991 e é natural de Lisboa. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (2013), e Mestranda em Direito Internacional Público na Universidade de Leiden, na Holanda, encontra-se a concluir a redação de tese respeitante à obrigação de direito internacional de salvamento no mar no quadro da União Europeia. É também Pós-Graduada do Curso de Direitos Humanos pelo Centro de Direitos Humanos da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (2014), tendo posteriormente feito investigação para o mesmo instituto.

Tem como principais áreas de investigação o Direito Internacional Público, os Direitos Humanos, o Direito dos Refugiados, o Direito do Mar e o Direito Constitucional. É autora do artigo “As Interceções de Refugiados em Alto Mar e o Princípio de Non-refoulement”, publicado pela Coimbra Editora (2015). Estagiou no Ministério dos Negócios Estrangeiros e atualmente trabalha como jurista na Direção de Relações Exteriores – Área de Organizações Internacionais da ANACOM, atividade que concilia com funções de consultoria jurídica internacional, com maior predominância para o Ministério da Educação de Timor-Leste. É uma apaixonada pela defesa e promoção dos direitos humanos, sendo membro da Secção de Defesa de Direito Humanos da Associação Académica de Coimbra (SDDH) desde 2014.

- Dra. Maria João Guia

mariajoaoguiaDoutora em “Direito, Justiça e Cidadania no Séc. XXI” e autora da tese intitulada “Imigração, ‘Crimigração’ e Crime Violento. Os Reclusos Condenados e as Representações sobre Imigração e Crime”. Publicou dois livros sobre Imigração e Crime (2008 e 2010), co-editou o livro Social Control and Justice- Crimmigration in the Age of Fear e foi organizadora do livro A Emergência da Crimigração, ambos publicados em 2012. É editora e co-editora de novas publicações para a Springer: The Illegal Business of Human Trafficking (2014), Immigration, Detention, Risk and Human Rights. É Investigadora Associada do Centro de Direitos Humanos da FDUC. Em 2012 foi galardoada com uma bolsa do programa Ryoichi Sasakawa Young Leaders Fellowship Fund (SYLFF), pelas suas capacidades de liderança e de organização de projetos académicos. A rede internacional CINETS – Crimmigration Control International Net of Studies, (www.crimmigrationcontrol.com) que dinamiza, tem sido uma das suas prioridades académicas. Foi assistente convidada do Mestrado em Criminologia e da Licenciatura em Direito do ISBB em Coimbra (2013-2015).  Dedicou-se a atividades de investigação académica e criminal (é inspetora do SEF), tendo sido membro suplente do Grupo de Peritos para o Tráfico de Seres Humanos da União Europeia, até Agosto de 2011. Foi perita externa independente da Comissão Europeia no campo da Segurança, Liberdade e Justiça, em 2014. É membro de várias sociedades e projetos de investigação nacionais e internacionais.

- Dra. Noémia Pizarro (GJAI)

2 versao-2É licenciada em Direito pela Universidade de Coimbra e Mestre em Direito Comunitário pela Universidade Livre de Bruxelas.

Foi investigadora no Programa de Estudos Europeus do Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais. Foi Professora de Ciência Política, Introdução ao Direito e Estudos Europeus na Universidade Católica Portuguesa de Braga. Foi assessora jurídica e política no Parlamento Europeu, em Bruxelas e, depois, no Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, foi assessora político-diplomática no Gabinete do Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação. Foi Secretária-Geral do Movimento Europeu Portugal. Foi Chefe do Gabinete da Presidente da Assembleia da República na última Legislatura. Em praticamente todas estas funções desenvolveu trabalho político e jurídico nos domínios da política externa, direitos fundamentais – particularmente imigração e asilo – e constitucionalismo europeu. É autora de diversos artigos sobre temáticas europeias. É co-autora da primeira versão consolidada em português do Tratado de Lisboa.

 

- Calil Makhoul (SDDH/AAC)

1384083_10154940748935237_2999528251417317862_nDoutorando em Antropologia Forense, na especialidade em restos humanos queimados, pela Faculdade de Antropologia da Universidade de Coimbra (UC). Pós-Graduado em Direito Criminal Internacional pelo programa de Interuniversidades do  Líbano. Mestre em Entomologia Forense pela Universidade Americana de Ciências e Tecnologia (AUST) e Licenciado em Biologia pela Universidade Libanesa (UL). Membro da AKTO- Direitos Humanos e Democracia e Membro da Secção de Defesa dos Direitos Humanos da Associação Académica de Coimbra e tambem Membro da Cruz Vermelha Portuguesa.

 

WORKSHOP  - PARA ALÉM DO VISÍVEL – ONDE FICAM OS DIREITOS HUMANOS NOS MEDIA

- Adelino Gomes

Adelino_GomesNatural de Marrazes, Adelino Gomes é jornalista. Estudou Filosofia e Direito na Universidade de Lisboa, mas deixou os estudos para se dedicar ao jornalismo. Na rádio foi locutor do Rádio Clube Português, da Rádio Renascença e da Deutsche Welle, director de informação e realizador de programas na Radiodifusão Portuguesa. Na televisão foi repórter da RTP em 1975, tendo acompanhado acontecimentos como o 11 de Março de 1975, o início da guerra civil em Angola e a guerra civil em Timor. Retomou esse dossier, no Público, jornal que ajudou a fundar, em 1989, e do qual foi director-adjunto e redactor-principal. É co-autor do disco O dia 25 de Abril (duplo álbum com a reportagem sobre a revolução) e de vários livros. Desempenhou o cargo de Provedor do Ouvinte da RDP (2008-2010) sucedendo a José Nuno Martins. Leccionou na Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa (1975-1981), na Escola Superior de Jornalismo do Porto (1986) e na Universidade Autónoma de Lisboa (1992-2002), foi formador no CENJOR – Centro de Formação Protocolar para Jornalistas e coordenou o Curso de Formação de Jornalistas e Animadores de Emissão da TSF. Doutorou-se em Sociologia (especialidade em Sociologia da Comunicação, da Cultura e da Educação) em 2011, no ISCTE-IUL, com uma tese sob o título “O telejornal e o zapping na era da Internet. Estudo do comportamento de editores e telespectadores nos jornais televisivos das 20 horas da RTP1, SIC e TVI (2006-2010)”. É actualmente investigador associado no CIES-IUL.

- Marta Leite Ferreira

12721864_935285319912096_2083467646_n

Tem 21 anos é natural de Leiria e é jornalista no Observador há pouco mais que um ano. Estudou Comunicação Social e Educação Multimédia entre 2012 e 2015, período em que começou a produzir conteúdos para o Jornal Akadémicos e para o blog desportivo Box-to-Box. Hoje em dia trabalha na secção de Atualidade, que a obriga a estar sempre a par dos últimos acontecimentos nas mais variadas áreas.

 

 WORKSHOP – PARTICIPAÇÃO POLÍTICA – DIREITO OU DEVER?

- Conselho Português da Juventude

cnjO Conselho Nacional de Juventude (CNJ), criado em 1985,  é a Plataforma representativa das organizações de juventude de âmbito nacional, abrangendo as mais diversas expressões do associativismo juvenil (culturais, ambientais, escutistas, partidárias, estudantis, sindicalistas e confessionais). Tem como missão constituir uma plataforma de diálogo e um espaço de intercâmbio de posições e pontos de vista entre as organizações e conselhos de juventude; reflectir sobre as aspirações dos jovens, promovendo, designadamente, o debate e a discussão sobre a sua situação e problemática; contribuir para o incentivo e desenvolvimento do associativismo juvenil; assumir-se como interlocutor perante os poderes constituídos e reivindicar o direito à consulta sobre todos os assuntos que respeitem à juventude portuguesa em geral; colaborar com os organismos da Administração Pública através da realização de estudos, emissão de pareceres e informações relacionados com problemática e interesses juvenis, por sua própria iniciativa, ou por solicitação; promover o diálogo entre as organizações juvenis; apoiar técnica e cientificamente as organizações de juventude e os conselhos regionais de juventude aderentes;promover o diálogo e intercâmbio com organizações estrangeiras congéneres; publicar e apoiar a divulgação de trabalhos sobre a juventude.O CNJ trabalha em prol dos interesses de todos os jovens portugueses, sendo reconhecido pelo Estado enquanto parceiro em matéria de políticas e juventude.

 

Be the first to comment.

Leave a Reply

*



You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>